Este site usa cookies técnicos, analíticos e de terceiros.
Ao continuar a navegar, aceita a utilização de cookies.

Preferências cookies

Partecipação do ministro Tajani para o Dia Internacional para Eliminação da Violência contra a Mulher , sábado 25 de novembro

25 nov 2023

A Farnesina também se junta à campanha de conscientização da ONU para o Dia Internacional para a Eliminação da Violência contra a Mulher. No sábado, 25 de novembro, às 18 horas, o Vice-Presidente do Conselho e Ministro das Relações Exteriores, Antonio Tajani, participará de uma cerimônia de iluminação do Palácio Farnesina, que será realizada na praça em frente ao edifício.

A Farnesina será colorida de laranja para dar um forte sinal de atenção e reiterar a firme condenação de todos os tipos de violência contra as mulheres, um crime hediondo que constitui uma das formas mais graves e generalizadas de violação dos direitos pessoais no mundo. A cada hora, cinco mulheres são mortas no âmbito doméstico, enquanto uma em cada três é vítima de violência física ou psicológica ou abuso e exploração“, disse Tajani.

A violência contra as mulheres é um flagelo que, infelizmente, também afeta nosso país. Como vice-primeiro-ministro e ministro das Relações Exteriores, decidi dedicar à memória de Giulia Cecchettin, cujo assassinato chocou o país, o principal programa de bolsas de estudo de excelência promovido pela Farnesina, ‘Invest Your Talent in Italy’, destinado aos melhores talentos estrangeiros de 17 países em foco e interessados em estudar disciplinas de engenharia, economia ou arquitetura na Itália“, indicou Tajani.

Sob a sugestão do Vice-Primeiro Ministro, a Farnesina e sua rede no exterior estão aderindo à campanha “Orange the World”, que dá início a 16 dias de iniciativas em conjunto com a sociedade civil. A campanha, intitulada “UNITE! Invest to prevent violence against women and girls“, tem como foco a promoção de investimentos e recursos financeiros dedicados ao combate à violência de gênero, estabelecendo uma meta ainda mais ambiciosa: proclamar o dia 25 de cada mês como um “Orange Day”, como forma de reforçar e dar continuidade à atenção pública sobre o assunto.

A condição vulnerável de mulheres e meninas é agravada em conflitos armados, bem como em qualquer situação de emergência, onde elas são as mais expostas. Diante desses dados alarmantes, a Itália mais uma vez expressa a mais forte condenação contra todas as formas de discriminação e violência contra as mulheres.

A eliminação da violência contra as mulheres e o apoio à emancipação das mulheres estão entre os pilares da política externa e da cooperação para o desenvolvimento italiana. Prova disso são as inúmeras campanhas internacionais, como aquelas para a erradicação da mutilação genital feminina e dos casamentos precoces e forçados, que sempre viram a Itália na linha de frente, e nosso compromisso na Comissão da ONU sobre a Condição Feminina. Também no âmbito da Agenda das Nações Unidas sobre “Mulheres, Paz e Segurança”, a Itália está na vanguarda da comunidade internacional, tanto na promoção de iniciativas destinadas a reforçar o papel das mulheres na prevenção e resolução de conflitos e na reconstrução pós-conflito, quanto por meio do Quarto Plano de Ação Nacional 2020-2024.

A Itália participa dos programas da UNIDO destinados a apoiar oportunidades de empreendedorismo para mulheres na região MENA e temos orgulho de apoiar a Rede das Mulheres Mediadoras do Mediterrâneo, bem como o “Gender Equality Trust Fund – Affirmative Finance Action for Women in Africa (AFAWA)“do Banco Africano do Desenvolvimento. As recentes Diretrizes da Cooperação Italiana sobre igualdade de gênero e o empoderamento de mulheres, meninas e crianças visam intensificar ainda mais nosso compromisso por meio de iniciativas específicas que vão desde a saúde feminina, materno-infantil, sexual e reprodutiva até o apoio a programas em favor da educação de meninas e mulheres e projetos para o desenvolvimento do empreendedorismo feminino.

O planejamento e a implementação de políticas eficazes em nível internacional também são de suma importância para a plena realização do 5º objetivo de desenvolvimento dustentável da Agenda 2030, do Plano de Ação da UE sobre Direitos Humanos e Democracia 2020-2024 e da Estratégia da UE sobre Igualdade de Gênero 2020-2025.