Este site usa cookie para fornecer uma experiência melhor. Prosseguindo com a navegação aceite a utilização dos nossos cookies OK

Terna inaugura a nova linha elétrica de alta tensão no Estado do Rio Grande do Sul

Data:

21/02/2019


Terna inaugura a nova linha elétrica de alta tensão no Estado do Rio Grande do Sul

Uma nova linha elétrica de transmissão em alta tensão de 158 km de comprimento no Estado do Rio Grande do Sul que vai permitir a integração na rede brasileira de grandes quantias de energia produzida de fontes renováveis, especialmente eólica, foi inaugurada na segunda-feira, 19 de fevereiro, num evento organizado pela Embaixada da Itália em Brasilia.

Participaram da cerimônia o Diretor-Geral de Terna, Luigi Ferraris e o Embaixador da Itália no Brasil, Antonio Bernardini. O encontro aconteceu na presença do Conselheiro-Chefe do Departamento Econômico e Comercial da Embaixada da Itália no Brasil, Carlo Jacobucci, do Vice-Governador do Estado do Rio Grande do Sul, Ranolfo Vieira Jr, do Cônsul-Geral da Itália em Porto Alegre, Roberto Bortot e das instituições mais representativas do setor energético brasileiro, entre as quais o vice-secretário do Ministério de Minas e Energia, o Diretor-Geral da Agência Nacional de Energia Elétrica e o Diretor do Operador Nacional do Sistema Elétrico.

Terna, no quadro de suas atividades internacionais, através a controlada Santa Maria Transmissora de Energia, nas semanas passadas concluiu as obras e depois da realização dos testes funcionais, colocou em exercício o novo eletroduto a 230 Kv “Santa Maria 3 – Santo Ângelo “, no sul do Brasil. A obra, que viu a participação de 10 empresas e de um máximo de 500 técnicos que trabalharam ao longo de 12 meses, é considerada de grande importância no Estado do Rio Grande do Sul porque permite a integração nas redes de transmissão nacional da energia gerada pelas instalações eólicas em operação no sul do Brasil. Com mais de 80% da energia elétrica oriunda de fontes limpas e o crescimento de 20% do setor eólico no último ano, o Brasil representa atualmente o maior mercado energético da América Latina e está entre os primeiros cinco ao mundo em potencial de desenvolvimento.

 ‘Aplicando o know-how tecnológico e inovador que amadurecemos como modelo de excelência em nossa estratégia de negócios e graças à colaboração dos orgãos ambientais do Estado, conseguimos realizar uma primeira infraestrutura sustentável que permitirá ao Brasil prosseguir no desenvolvimento de energias renováveis em plena sintonia com os novos ecossistemas da energia e descarbonização”, declarou o Diretor-Geral de Terna, Luigi Ferraris.

Terna prestou uma grande atenção à realização da linha elétrica: 80% dela foi realizada com uma tecnologia de menor impacto ambiental. Alinhada à sua estratégia de desenvolvimento sustentável das infraestruturas no território, Terna contribuiu ao desenvolvimento de um programa específico de responsabilidade e inclusão social e produtiva que envolveu 20 famílias rurais indigenas Guarani. O projeto, aplicado nas áreas atravessadas pelo eletroduto, concentrou-se principalmente nos temas da educação e do ensino.

O início do funcionamento desta linha elétrica aconteceu com dois meses de antecedência com relação à data prevista concordada com a Aneel, a Agência Nacional da Emergia Elétrica, que em junho de 2017 abriu uma licitação internacional que Terna ganhou para realizar o projeto, a construção, o exercício e manutenção de duas instalações no Brasil. A segunda obra em concessão à Terna – um eletroduto de 500 Kv de 350 km de comprimento no Estado do Mato Grosso do Sul – está em fase de construção e entrará em operação no primeiro semestre de 2019. O valor total dos investimentos previstos por Terna nas duas linhas elétricas é de aproximadamente 160 milhões de euros. 

Fonte: www.terna.it


259